domingo, 31 de janeiro de 2010

Quando o sono não vem...


Essa noite fui dormir cedo -se em comparação as noites passadas.

Apaguei a luz do quarto; fechei a porta; me deitei e como de costume comecei a ouvir musicas no celular.

Não conseguia dormir. Me virava para lá, para cá, me cobria, me descobria, trocava de musica constantemente e nada de o sono aparecer; algo o afugentava... meus pensamentos o afugentavam.

Pensava nas aulas que começarão amanhã, no curso de inglês que só recomeça dia 19/02 e principalmente no Cara da postagem anterior.

- Por que ele não gosta de mim?

- O que eu fiz de errado?

- Será que ele está pensando em mim nesse momento?

- Será que algum dia ele sequer pensou em mim?

Esses são o tipo de pensamento que tiram o sono de qualquer ser humano...pensar se é amado ou valorizado ou simplesmente pensar no que outras pessoas estariam pensando no exato momento.

Selecionei a playlist Românticas. Olhei no meu quarto escuro, fechei os olhos, e enquanto ouvia My Heart Will Go On chorei, chorei bastante...o rosto dele começou a aparecer em minha mente que se recusava a se desprender. Lembrei-me de seu sorriso, de sua voz, de nossas imensas conversas e não consegui sentir raiva dele ou de suas atitudes, apenas senti sua falta.

Ao som de Speechless, pensei em ligar para ele, mas me controlei.

São 2:52 am. Ainda acordada continuo chorando, fecho os olhos mais uma vez e o cheiro de seu perfume começa a exalar em meu quarto...este cheiro está impregnado em minha mente.

Pego meu celular e começo a traduzir parte de uma música:

"Parece que eu sempre te conheci...

É como se eu sempre estivesse procurando e agora encontrei.

Você me deixa sem voz quando me toca, me deixa sem ar da forma como olha para mim.

É como se eu não pudesse resistir a você, pensei que fosse forte..."

São 3:08 am. Desligo o celular, o ponho no criado mudo, deito em posição fetal, abraço meu traveseirinho (o que eu tenho desde a infância) e fecho os olhos.

Após sentir um enorme aperto no coração sinto que minha mente está ficando cada vez mais lenta.

Começo a dormir e torço para que pelo menos nos sonhos consiga ficar perto dele.


...

My Heart Will Go On - Celine Dion.

Speechless - The Veronicas.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Again!Again! ¬¬


É incrivelmente terrível como que eu sempre consigo me atrair por pessoas que não prestam ou que simplesmente não se interessam por mim.


Depois de muito tempo sem me "apaixonar", me apaixonei, me apaixonei por um completo -eu disse completo- idiota. Idiota mesmo, do tipo que só se lembra de você quando te vê ou quando não tem nada melhor para fazer, ou claro, quando precisa de um favor.


Eu tentei ser legal, fui verdadeira, engraçada, compreensiva, o tratei como se fosse meu amigo de infância e sabe[?]no começo ele demonstrava o mesmo, mas mesmo sabendo o que eu sentia (ou talvez ainda sinta, é que no momento a raiva esta berrando dentro de mim e o sentimento bonitinho esta somente sussurrando) continuou do mesmo jeito, na verdade está mais infantil do que antes e beeeeeem menos atencioso (que legal - ironia ali<--).


Gostaria de entender o motivo que leva os homens a agirem de tal forma quando sabem que alguém gosta deles de verdade ou que os respeitam como pessoas acima de muitas opiniões; gostaria de me entender um pouco, porque queridos eu tenho dedo podre para escolher pessoas do sexo oposto e o mesmo sexo nunca me interessou...o jeito é conviver com mais uma - eu disse mais uma - desilusão amorosa, mas como diz a minha avó: "Mãos calejadas não sentem tanta dor".




Vivendo, sobrevivendo e acima de tudo tentando aprender.




Beijos


:D

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

O que pensam sobre mim...




É incrível que mesmo pensando que eu não me importo com que pensam e falam sobre mim, eu me importo. Na verdade, não sei se "importo" é a palavra que descreve de forma correta este sentimento.



Tem gente que fala que eu não faço nada, que fico o dia todo a mofar no sofá e tem gente que concorda. Sem contar aquelas pessoas que falam que quero tudo do meu jeito e que sou egoista e blábláblá.

Dai eu fico me perguntando: Eu sou assim, uma pessoa tão cheia de defeitos e tão sem qualidades, ou qualidades nunca reconhecidas ou lembradas?

É terrível ouvir mil críticas e meio elogio. Se pensam que eu fico a toa e não tenho objetivos, me criticando obviamente não terei (porque não são criticas construtivas).

Eu não tenho um emprego, mas não sou inutil e na maioria das vezes, ajudo.

Enfim...creio que esse tipo de coisa aconteça com muitas pessoas...é que é muito fácil apontar os defeitos e muito difícil reconhecer qualidades de outros, pois talvez, não a temos.