sexta-feira, 17 de julho de 2015

A noite


Mais um dia comum chega ao fim e noite adentro poderei (re)pensar sobre tudo... A noite, ah, a noite! Como é bela e companheira! Ela abriga as estrelas e a lua que, na maioria das vezes, são minhas únicas companhias.

Ao olhar para o céu, consigo renovar minhas esperanças e deixar mais vivos meus sonhos e, por um singelo momento, sinto como se tudo o que eu desejo fosse possível e cabível de acontecer.

Aproveito a noite também para (re)lembrar momentos lindos e saudosos, como o meu pai preparando o jantar com as sobras do almoço, como a primeira vez que consegui nadar sozinha, o dia em que ganhei uma boneca de minha madrinha (que, por algum motivo, se tornou especial dentre todas as outras bonecas), como aquele primeiro olhar, trocado com um desconhecido que, se tornaria o grande amor de minha vida (mesmo que não correspondido), enfim, há tempos que a noite deixou de ser para mim, esta pobre alma que vos escreve, feita para obter o tão merecido descanso... Para mim, a noite se transformou numa cápsula do tempo, ou melhor, num túnel do tempo e espaço que tem o poder de me levar de volta ao passado para que eu possa reviver momentos singulares, mas que também me leva ao futuro idealizado por mim, no qual finalmente encontro a felicidade plena e arrisco-me a dizer: Duradoura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente, quero saber sua opinião (=